sexta-feira, janeiro 14, 2011

resquícios do animal que há no Homem

Existem vários em todo o mundo, mas é o combate a esses resquícios barbários que se traduz por evolução humana e nos faz melhores pessoas e cidadãos.
Em Portugal temos como grande exemplo disso mesmo, as touradas. É tempo de acabar com isso.
Assinem a petição:
http://www.peticaopublica.com/PeticaoVer.aspx?pi=010BASTA

Mais de 26000 pessoas já assinaram, mas são precisas muito mais, até porque nos principais lugares de decisão a mentalidade ainda é muito conservadora. Nestas e noutras matérias um encolher de ombros não basta, é preciso vincular uma posição.

4 comentários:

Anónimo disse...

Sugiro-lhe que deixe de comer.

A bem de todos os seres vivos que têm de ser bárbaramente sacrificados e cozinhados no fogo para o alimentar e manter rechonchudo.

Vamos a ser consequentemente coerentes,sob pena de sermos falsos moralistas e demagogos.

Vítor Silgueiros

Hugo Cristóvão disse...

Para comer um bife ou uma posta de bacalhau, não é preciso fazer um espetáculo de tortura para o qual além do mais, se cobra bilhete.

E este é o ponto para mim essencial. Não há nada de demagogo ou moralista nisto.

Anónimo disse...

O seu enfoque na forma para tentar esvaziar o conteúdo não resulta.

A barbárie de parte do espectáculo taurino é racionalmente discutível,mas sem hipocrisias e sem ir à raíz da sua realidade e relevância culturais.

Acaso o choque eléctrico violento do matadouro e o anzol são menos cruéis que a farpa?

E onde é que eu já o vi,A SI, numa matança de porco anual realizada por uma associação cultural de Tomar?

Vítor Silgueiros

Hugo Cristóvão disse...

Caro Vítor,

Lamento discordar de si, mas em questões de barbárie não pode haver "relevâncias culturais" por mais que quem defende sempre tente agarrar esse argumento, porque senão também tinha de concordar com o festival de matança de baleias na Dinamarca (http://alguresaqui.blogspot.com/2009/03/vikings-e-animais.html), ou de golfinhos no Japão e outros casos similares pelo mundo.
Para mim tourada é barbárie, e felizmente é-o para cada vez mais pessoas até que chegará o dia inevitável em que acabará.
Felizmente há muitos sinais de evolução maior nesse sentido, tanto dos cidadãos que indivualmente cada vez mais se expressam contra, como por exemplo nas cidades que em Portugal, Espanha e outros países já proíbiram definitivamente as touradas.

E para mim a questão está mesmo na forma e não no conteúdo. Eu não condeno que se mate para comer até porque não sou vegetariano (embora ache que a evolução humana também lá chegará.
O que acho é que é degradante para o ser humano fazer um espectáculo do qual se retiram prazer vouyerista e dividendos financeiros à conta de tortura animal. E isto nada tem de hipócrita.

E por fim, admito que sim mas não me recordo, pelo que também eu gostaria de saber onde já me viu numa matança de porco de uma associação. O que em todo caso, não tem nada a ver com o assunto em apreço.

cumprimentos, bom fim-de-semana